identificacao1analise2criminalistica1medicolegal1
INSTITUTO DE CRIMINALÍSTICA > Balística Forense PDF Imprimir

 

A Balística Forense é uma disciplina, integrante da criminalística, que estuda as armas de fogo, sua munição e os efeitos dos tiros por elas produzidos, sempre que tiverem uma relação direta ou indireta com infrações penais, visando esclarecer e provar sua ocorrência.

O setor de Balística Forense é responsável pela realização dos exames periciais abaixo relacionados:

Exame de eficiência: Este exame tem por finalidade verificar se a arma de fogo é eficiente para a realização de disparos. Os procedimentos periciais iniciam pela identificação da arma, descrição de suas característica, avaliação de sua estrutura, testes de eficiência e avaliação dos resultados.

Exame metalográfico: Este exame destina-se a recuperação das numerações de série destruídas. A metodologia utilizada consiste em polir a área a ser investigada e em seguida aplicar os reagentes químicos apropriados para a revelação da numeração.

Exame de comparação: O exame de comparação balística visa estabelecer a conexão entre a arma de fogo e o projétil, entre a arma e o estojo, entre projéteis e entre estojos. O procedimento pericial adotado segue rotina padronizada no Brasil e no Exterior, com o emprego de um moderno microscópio comparador auxiliado por processo de captura de imagens permitindo a análise em vídeo de alta resolução.

Exame de segurança: Este exame é utilizado quando se busca identificar se os mecanismos de segurança da arma de fogo questionada está eficiente, assim, esclarecendo as dúvidas quando a possibilidade de disparos acidentais.

Veja também:

A comparação balística é um dos exames periciais mais requisitados ao Instituto de Criminalística do IGP.  É o processo onde ocorre a identificação indireta de uma arma de fogo através de estudos comparativos, macro e microscópicos, entre as deformações por ela produzidas, nos elementos de sua munição e as deformações presentes nos elementos de munições questionados ou suspeitos.

A metodologia utilizada na comparação balística tem como suporte principal o Comparador Balístico da Marca Leica, modelo DMC, mostrado na ilustração abaixo:

comparador_balistica

 

No processo de comparação busca-se a produções de padrões de confrontos, obtidos com a arma suspeita, através de disparos realizados em caixas com algodão hidrófilo. O projétil sai da boca do cano em alta velocidade e com elevada rotação. Ao entrar em contato com o algodão, esta rotação proporciona a formação de um novelo que envolve o projétil, protegendo-o de possíveis deformações e conservando as características necessárias aos procedimentos comparativos ampliados. Os projéteis padrões são confrontados com os projéteis retirados dos corpos das vítimas e então, através da análise pormenorizada das superfícies, os peritos especializados em balística, buscam localizar elementos convergentes. Uma destas situações é mostrada na ilustração abaixo:

comparador_balistica1

 

PADRÃO X QUESTIONADO

Com a localização de elementos convergentes em quantidade e qualidade suficiente, os Peritos podem afirmar que a arma analisada foi utilizada na efetivação dos disparos que atingiram a vítima.

Além dos projéteis, são utilizados na comparação balística, os elementos de identificação indireta presentes nos estojos deflagrados, tais como as marcas de percussão e extração.

Classificação das Armas de Fogo


classe1


classe2


classe3